Produtos pela metade do preço, frete grátis, pague 1 leve 2, parcele 12 X sem juros, será que há outras estratégias para atrair mais clientes na Black Friday deste ano?

Se já qual for o plano de ação de vendas, as expectativas sobre a lucratividade da data – 25 de novembro – dividem opiniões de analistas. Fatores como o reflexo das eleições, Copa do Mundo, a situação macroeconômica do país e o estoque de lojas influenciarão os clientes. Esse misto de elementos determinará, em alguns aspectos, positivamente e, em outros, negativamente o comportamento do consumidor. Mesmo assim, a expectativa é positiva.

Uma coisa é certa, o PIX se tornará um dos principais meios de pagamento na Black Friday este ano. Já vimos que esta modalidade cresceu mais de 10% nas vendas online no primeiro semestre de 2022.

É possível que em alguns segmentos, inclusive, o PIX ultrapasse o cartão de crédito como o meio mais utilizado.

Sua funcionalidade rápida na transação melhora a experiência de compra do cliente. Para o lojista, a outra vantagem do Pix é a redução de custos com as empresas de cartão de crédito, possibilitando o investimento em outras áreas. Não é à toa que ele se tornou o segundo meio de pagamento preferido dos brasileiros.
Tendo em vista essa série de fatores, acredito que teremos um saldo positivo no final das contas e teremos uma Black Friday forte, com um possível crescimento de 5% em relação ao que tivemos no ano passado. As pessoas acabam encontrando e inventando coisas para comprar. Não é mesmo?

Eduardo Muniz é CEO e fundador da Simplie, além de pioneiro em mídia digital na América Latina e vencedor do prêmio Google Case of the Americas em 2010.