TikTok é a bola da vez. Seja para divertir, vender, comprar, aprender e até pesquisar, os usuários dessa rede social encontram tudo que necessitam (ou acham que necessitam) num único lugar.

Torna-se cada vez mais evidente que a dinâmica de vídeos do TikTok ganha espaço em outras redes, como no Instagram, Facebook e até mesmo no Youtube. Vídeos curtos com legendas, compostos de cortes e que apenas rolando a tela aparecerá um novo vídeo, além da utilização de algoritmo personalizado para cada usuário, são as principais características e funcionamento, que vem ganhando cada vez mais espaço no mundo virtual.

Muitas empresas estão lucrando alto surfando na onda do TikTok. Elas descobriram que é possível vender entretendo as pessoas. As publis de humoristas e de pessoas comuns com histórias engraçadas estão conquistando mais visibilidade e, consequentemente, cativando mais consumidores em potencial. Outra grande trunfo são as Live commerce (demonstração de produtos em tempo real) que se tornaram o chamariz das vendas online.

Qual será o diferencial de cada rede no final? Serão todas iguais? No fundo, o que buscamos em cada rede é o que a faz única, se todas seguirem pelo mesmo caminho, vão virar commodity, sem diferencial claro?

Depois de vender entretendo, o que será que está por vir?

Eduardo Muniz é Sócio-Diretor da SIMPLIE – empresa de inteligência com uma solução full-service para o e-commerce – e Professor do MBA de Marketing Digital na ESPM e FGV.